Arquivo de Transformação - Blog da caracolga
A caracolga é um projeto sobre Educação Mindfulness, que almeja cuidar do crescimento pleno das crianças, envolvendo, com consciência, todos os agentes educativos.
Mindfulness, Educação,
105
archive,tag,tag-transformacao,tag-105,qode-social-login-1.0.2,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-4.6,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

Habitar o corpo

Há tempos tropecei num desafio lançado para quem o quisesse apanhar, de refletir sobre o que é Habitar o Corpo. O repto ficou a pairar na leveza de um sopro, que me acariciou a pele, eu agarrei-o e puxei-o para bem perto de mim, para junto do meu coração.

Foi com emoção [não devemos ter pudor de mostrar as nossas emoções] que o meu coração se abriu a este sentir… Habitar o Corpo! Faz-me regressar à criança que, afinal, ainda sou, trazendo-me à memória que andei grande parte da minha vida a arrastar o corpo como se fosse um pesado fardo.

Neste momento, não consigo travar o ténue sorriso que se forma no meu coração e se expande para a minha face. Como foi possível que tal tivesse acontecido, viver sentindo o corpo como uma carga distante de mim própria?

LER MAIS

Do medo, à Liberdade e ao Amor

Há uns tempos tomei consciência que os sábados, em particular os dias de Sol, me têm oferecido momentos transformadores. Representam uma espécie de conjugação cósmica, que me desperta uma consciência contemplativa, recetiva à reflexão e à interiorização.

Não vão estranhar que vos escreva, que foi num soalheiro sábado à tarde, que o Universo me conduziu a uma sala que transbordava harmonia e liberdade. Embora estivesse rodeada por muitas pessoas que desconhecia, sentia, de alguma forma, uma conexão com a sua energia e essência.

LER MAIS

A mudança

As mudanças mexem com o nosso interior, com as crenças instaladas, que maior parte das vezes nos dão aquela sensação de segurança e de controlo que desejamos nas nossas vidas. E depois, de repente, surge a mudança! Vem num turbilhão tal terramoto ou furação, que nos sacode as entranhas. Ou então, vem pela calada como um cordeirinho manso.LER MAIS